Natal, Rio Grande do Norte, 24 de Abril de 2024

A travessia do rio da morte

O que aconteceu com a mulher e os três filhos encontrados mortos em um matagal na zona rural de Lagoa Salgada?

Sérgio Costa   11/03/2023 às 08h30   -  Atualizada em 11/03/2023 às 08h35

Foto: Reprodução

A manhã do dia 29 de julho de 2022 esconde algo ainda sem explicação! Os moradores da cidade de Lagoa Salgada, distante 60 quilômetros de Natal – RN, dividem opiniões sobre o que de fato aconteceu om uma mãe e três filhos encontrados mortos “Já em estado de ossada”, em uma região de mata, na área rural do município. Segundo relatos de testemunhas, Evani Kelly Francisca de 36 e os filhos, João, de 7 anos, Evani, de 4 e Eloise de 3 anos saíram as pressas de casa por alguma razão e foram vistos pela última vez tentando atravessar o rio para chegar até a residência de familiares.

No dia 1º de fevereiro trabalhadores de uma obra encontraram ossadas de um adulto e de crianças espalhadas em uma propriedade particular de difícil acesso, esses restos mortais foram levados para a perícia no ITEP (Instituto Técnico e Científico de Perícia), em Natal e identificados como sendo da família que até então era considerada desaparecida. O mistério passa a ser voltado oficialmente para essas pessoas, visto que com os poucos elementos encontrados no local onde estavam as ossadas é difícil entender como a mãe e os filhos morreram.

As investigações iniciais apontam que a mãe das crianças sofria violência doméstica praticada pelo companheiro, um policial militar afastado das funções por questões de saúde, ele chegou a se apresentar na DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção Pessoa), mas não foi ouvido, para a imprensa ele afirmou não ter envolvimento com desaparecimento e agora a morte da esposa e dos filhos. A família das vítimas está representada pela advogada Rayane Coelho, que conversou com a reportagem do PortalBO informando que aguarda o segundo laudo da Antropologia Forense que deverá apontar a causa da morte.

Em conversa com o delegado do município de Monte Alegre, Nivaldo Floripes, que confeccionou o relatório preliminar do fato, o portal foi informado que ainda não há nenhuma evidência da participação do marido de Evani Kelly no fato. “Não há nada concreto que coloque este homem na condição de suspeito no momento”, disse. O inquérito transcorre agora na DHPP sob os cuidados de três delegados.

Com os pés descalços aquela família nitidamente fugia de algo de maneira apressada e temerosa, fugia de um monstro que talvez já vinha assombrando a todos há muito tempo, mas agora temos que aguardar os próximos passos da polícia para descobrirmos o que ocorreu na travessia do rio da morte.

 

© 2011-2024. Portal BO - O 1º Portal Policial do RN - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade

Título