Natal, Rio Grande do Norte, 13 de Dezembro de 2017

Esquema de segurança para a Copa 2014 começa a sair do papel

Coronel Zacarias Mendonça, um dos coordenadores do policiamento para Copa no RN, explica como está sendo planejamento.

Thyago Macedo   25/12/2011 às 09h41   -  Atualizada em 24/07/2017 às 06h46

Foto: Divulgação
Bombeiros também promovem capacitação

Faltando mais de dois anos para o início da Copa do Mundo Futebol, o planejamento da segurança pública nos estados que serão sedes começou a sair do papel. O Rio Grande do Norte, ao contrário das obras do complexo Arena das Dunas, é um dos estados mais avançados no que diz respeito ao policiamento. A polícia potiguar, aliás, é tida como referência em praças esportivas e grandes eventos.

Desde o início do ano, a Secretaria Estadual determinou a criação de uma comissão envolvendo Polícia Militar, Polícia Civil, Itep e Corpo de Bombeiros. Um dos coordenadores da equipe, o tenente-coronel Zacarias Mendonça, explicou ao Portal BO como andam os preparativos para a Copa 2014.

Ele informou que as instituições estão unidas em torno do objetivo de garantir a realização dos jogos de maneira segura. De acordo com o oficial, foi montando um projeto que engloba formação, capacitação, aquisição de material e emprego do efetivo durante o evento. “Ao longo deste ano, tivemos várias reuniões com policiais de todos os estados que serão sede para tratar sobre essa questão. Até mesmo os estados que não são sedes participam dos encontros porque eles podem atuar no suporte aos vizinhos”, destaca.

Coronel Mendonça informa que o plano criado, por exemplo, permite identificar em quais pontos a polícia potiguar precisa melhorar. “Aqui no Estado, para citar como exemplo, nós temos carência de carros de contenção de distúrbio civil, que são aquelas viaturas com jatos d’agua para dispersar multidões”, conta.

Ainda segundo o oficial, o plano vislumbra ainda a aquisição de material antibomba. “Precisamos de equipamento adequado para varredura contra explosivos. Até porque vamos sediar um evento internacional e receber pessoas de ideologias politicas e religiosas diferentes. Se tivermos um jogo entre Estados Unidos e Irã é preciso um cuidado maior para prevenir contra possíveis atentados”.

Thyago Macedo
Tenente-coronel Zacarias Mendonça
 

Zacarias Mendonça ressalta ainda que um dos principais fatores para a garantia de uma Copa segura é a capacitação. Ele afirma que até 2014 a polícia do Rio Grande do Norte deverá ter capacitado em torno de três mil homens. “A gente deverá montar um curso de atuação em grandes eventos. A nossa ideia é que o policial se depare com uma determinada situação e saiba o mínimo de informação para saber como proceder até que uma autoridade superior chegue à ocorrência”.

Os cursos deverão ser realizados ao longo deste ano e, inclusive, já foram autorizados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Eles serão realizados a distância, no primeiro momento, e depois passará a ser presencial. Esse último, aliás, permitirá aos policiais serem credenciados com o Certificado Copa e, com isso, estarem aptos a atuarem diretamente no maior evento esportivo do mundo, bem como outros grandes eventos como visita de um Papa e encontro de líderes mundiais.

“Os cursos são desenvolvidos para todas as polícias, mas foram divididos por regiões. Nós ficamos no grupo do Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco e Bahia. Cada estado será responsável por promover três cursos. Os nossos serão o planejamento de operações, uso progressivo da força e gerenciamento de curso”, disse o coronel Mendonça.

Padrão FIFA
O oficial da Polícia Militar informou ainda que todo o processo de ações para a segurança deve atender ao que determina o Padrão FIFA. “Em todo o mundo o procedimento tem que ser o mesmo. No entanto, a quantidade de policiais que vão atuar em cada praça esportiva é decidido pela polícia local. O que eles orientam, por exemplo, é que a área interna dos estados seja toda fiscalizada por seguranças particulares. Contudo, isso ainda está sendo analisado, pois a polícia do Brasil não costuma atuar dessa maneira”, lembra.

O coronel explica que a cultura brasileira torna mais frágil um possível policiamento feito por segurança privada. De acordo com Zacarias Mendonça, o esquema no local de jogos é feito por anéis de segurança. O último anel, já no entorno dos estádios, é o espaço que seria privado. “Este setor é uma área como segurança altamente reforçada. Um cidadão só entra após passar por revista e detector de metais. Mas, as policiais brasileiras não estão engolindo essa ideia de segurança particular”, completa.

Ainda segundo o oficial, eventos como o Carnatal, que exige um emprego de aproximadamente 1.500 policiais por noite, credencia o Rio Grande do Norte a ser copiado por outros estados. Mesmo assim, a Polícia Militar do RN pretende sair na frente e colocar em prática o modelo que será usado na Copa o quanto antes.

Não por acaso, no próximo dia 29 de janeiro, quando América e ABC vão disputar o primeiro clássico do ano, a polícia já vai fazer um simulado. “O que eu temo é que algumas pessoas não gostem desse novo modelo, pois vamos fazer, por exemplo, contenção de ruas. Mas isso é importante para a população começar a sentir como será na Copa do Mundo”, reforça o tenente-coronel Zacarias Mendonça.
 

Encontre-nos no Facebook
Fechar
© 2011-2017. Portal BO - O 1º Portal Policial do RN - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade

Título