Natal, Rio Grande do Norte, 23 de Março de 2017

Esquemas criminosos se especializam no golpe do “empréstimo consignado”

Quadrilhas cada vez mais especializadas estão atuando de maneira fácil e organizado nos golpes.

Thyago Macedo   02/11/2011 às 04h13   -  Atualizada em 10/02/2015 às 02h17

Fotos: Herácles Dantas / O Jornal de Hoje
Cédulas usadas são as mesmas expedidas pelo Itep, o que levanta suspeita de participação de pessoas do órgão.

Um crime silencioso e que, na maioria das vezes, tem como vítimas pessoas humildes e sem esclarecimento tem movimentado milhares de reais e alimentado os bolsos de esquemas em todo o Rio Grande do Norte. Quadrilhas cada vez mais especializadas estão atuando de maneira fácil e organizado nos golpes do empréstimo consignado.

Na última segunda-feira (31), após alguns dias de investigação, a equipe da Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações conseguiu prender uma mulher acusa de fraudes. Edilma Maria de Lima, de 45 anos, aproveitava-se de informações pessoais de clientes de uma corretora de imóveis para ir a agências bancárias e conseguir realizar os empréstimos.

Para isso, a acusada falsificada documentos de identidade. No momento em que foi presa, em uma agência do Banco Itaú, no Alecrim, Edilma Maria portava uma cédula de identificação no nome de Maria Honório da Silva. Além do nome, a acusada tinha a sua disposição mais dados pessoais, como número do CPF, filiação, endereço e certidão de nascimento.

De acordo com Gilberto Fernando, chefe de investigação da Delegacia Especializada em Falsificação e Defraudações, Edilma tinha aplicado outros dois golpes. “Foram dois empréstimos no valor de R$ 5 mil cada um. Ela se preparava para o terceiro, também no valor de R$ 5 mil, mas, com o trabalho de investigação e diligências, agimos rápido e conseguimos impedir”, relata.

Para se ter uma ideia do grau de organização do esquema, o policial civil revela que as vítimas são escolhidas a dedo e, quanto mais o grau de humildade melhor. Após a prisão em flagrante delito, o delegado Júlio Costa, titular da DEFD, comandou diligências para tentar localizar documentos que comprovassem outros golpes praticados por Edilma Maria. Na casa dela, por exemplo, os policiais apreenderam comprovantes dos outros dois empréstimos que ela já tinha efetivado.

Além disso, foi apreendida uma lista com cinco nomes e dados completos das próximas pessoas que teriam o nome usado para empréstimo consignado. Em depoimento, a acusada confessou o crime, no entanto, declarou que ficava somente com parte do dinheiro do golpe e o restante era repassado para a pessoa que fornecia as informações.

 
Delegado Júlio Costa, titular da DEFD
 
O delegado Júlio Costa explicou que a polícia já está trabalhando para identificar e prender os outros integrantes do esquema, inclusive, a pessoa que fornecia os dados pessoais das vítimas, desviando as informações de uma corretora de imóveis.

Identidades falsas
Somente nos últimos dois meses, a Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações realizou quatro flagrantes de golpes do empréstimo consignado. O número só não é maior porque, de acordo com o chefe de investigação da unidade, os bandidos são preparados e não deixam uma quantidade pequena de rasto.

“Eles usam uma identidade falsa e o contrato de uma corretora, por exemplo, e o banco acaba autorizando o empréstimo, até porque, as cédulas de identificação são as mesmas fornecidas pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia”, revela Gilberto Fernando.

O Portal BO constatou que as cédulas são realmente originais do Itep, o que indica que o esquema criminoso pode ter algum fornecedor de dentro do órgão. A reportagem tentou contato, durante toda a manhã desta terça-feira, com a direção da Coordenadoria de Identificação do Instituto para saber como funciona o controle de emissão de documentos.

No entanto, a coordenadora não estava no prédio e a sub-coordenadora não podia receber a equipe nesta manhã. Além de o papel da cédula ser o original do Instituto Técnico-Científico de Polícia, as identidades apreendidas com Edilma Maria apresentam o preenchimento das informações com o mesmo padrão do órgão, bem como carimbo igual ao da antiga diretora, Cristiane Dantas.

Mulheres aplicam os golpes
 
Edilma Maria foi presa em flagrante
 
Esse tipo de crime envolvendo golpes do empréstimo tem sido cometido, em sua maioria, por mulheres, de acordo com dados da Delegacia Especializada. Um dos fatores que contribuem para isso é a fragilidade que algumas delas transmitem durante o crime, o que faz com que os funcionários dos bancos acabem não percebendo a ação criminosa.

“Além de esses crimes serem cometidos por mulheres, elas geralmente têm idade já avançada, o que também passa credibilidade. Esta mulher que prendemos ontem, por exemplo, também tem uma deficiência na perna. Tudo isso torna esse tipo de pessoa acima de qualquer suspeita”, destaca Gilberto Fernando.

A Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações orienta que qualquer pessoa que receba comunicado de empréstimo sem ter feito deve, imediatamente, procurar a unidade para registrar a ocorrência. Além disso, é preciso cobrar das empresas, como corretoras, que tenham maior controle com os dados dos clientes. Qualquer denúncia sobre os esquemas criminosos podem ser repassadas através do telefone 3232-1565

Encontre-nos no Facebook
Fechar
© 2011-2017. Portal BO - O 1º Portal Policial do RN - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade

Título