Por dentro da PM
Por Glaucia Paiva
Publicada: 22/04/2014 às 19h58

Praças da PMRN e dos Bombeiros tiveram apoio de seus comandantes

Foto: Glaucia Paiva
Associações de Praças e Oficiais estiveram unidas durante toda mobilização

Na noite dessa segunda-feira (21), os Oficiais da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar do RN decidiram por aderir e apoiar a mobilização promovida pelas Praças de ambas instituições. A convocação para assembleia que decidiu pelo apoio ao movimento foi convocada pela presidência da Associação dos Militares Estaduais (ASSOFME), representada pelo Capitão PM Moreira.

O anúncio animou os militares desejosos de uma polícia coesa e unida em prol de reivindicações justas e de direito dos militares estaduais.

Muitos comandantes de Unidades e até Batalhões aderiram ao movimento e apoiaram seus comandados na reivindicação realizada. "Eu não posso comandar uma tropa desestimulada", declarou o Major Rodrigues, Comandante do 5º BPM, um dos apoiadores e defensores da causa dos Praças.

Da mesma ideia compartilha o Major Fernandes, Comandante da Companhia Independente em Macau, que se fez presente na mobilização e demonstrou apoio inconteste aos Praças.

A mobilização chegou a contar com Oficiais Superiores do Corpo de Bombeiros, como o Tenente Coronel Monteiro que liberou todo o efetivo para defender a causa.

Vários outros Oficiais também se tornaram exemplos nessa luta e, de igual forma, conquistaram o respeito de seus comandados, não por suas estrelas que carregam em seus ombros, mas pelas pessoas humildes e sensíveis que demonstraram ser ao reconhecer como justa a causa principal da luta: Lei de Promoção de Praças. 

0 Comentários Enviar Imprimir Tamanho do texto A+ A-
Publicada: 22/04/2014 às 19h22

Caravanas do interior apoiaram mobilização dos militares estaduais nesta terça

Foto: Glaucia Paiva
PM's de Mossoró vieram dar apoio aos militares paralisados da Região Metropolitana

Durante todo o dia de mobilização promovido pelos policiais e bombeiros militares do RN, caravanas do interior do Estado foram chegando para dar apoio aos militares mobilizados na Governadoria.

Foram mais de 200 PM's que vieram de outras cidades do interior do Estado, como Mossoró, Caicó, Nova Cruz, Macau, Maxaranguape, Pipa e demais cidades circunvizinhas.

Os PM's permaneceram mobilizados em prol da Lei de Promoção de Praças e em apoio aos militares de Natal e Região Metropolitana que aderiram a uma paralisação.

A mobilização reuniu mais de 2 mil policiais e bombeiros militares na frente da Governadoria, que mantiveram suas atividades paralisadas até às 17 horas desta terça (22). 

0 Comentários Enviar Imprimir Tamanho do texto A+ A-
Publicada: 17/04/2014 às 07h28

PMs decidem paralisar atividades a partir da próxima terça-feira

Foto: Glaucia Paiva
PM's e bombeiros decidem por paralisar atividades na próxima terça (22)

Acampados há mais de uma semana em frente a Governadoria, os policiais e bombeiros militares do RN decidiram por paralisar as atividades a partir da próxima terça-feira, 22.

Cansados de esperar uma atitude do Governo e do descaso enfrentado diariamente, os militares estaduais resolveram confeccionar uma pauta de reivindicações, incluindo, além da Lei de Promoção de Praças, assuntos relevantes como:

* o pagamento dos níveis do subsídio e das férias;

* implantação de um auxílio alimentação - vez que muitos PM's estão passando mal com as quentinhas fornecidas;

* fornecimentos de equipamentos adequados - muitos PM's são flagrados empurrando viaturas e com coletes em péssimas condições;

* reajuste de 15% no subsídio - no acordo feito entre a categoria em 2011, até o ano de 2014 os Soldados estariam com o subsídio inicial de R$ 3,4 mil, tendo reuniões anuais para fixar o reajuste. Atualmente, os Soldados recebem R$ 2,2 mil;

* Convocação dos 824 candidatos aprovados na segunda fase do último concurso realizado pela PM - atualmente a Polícia Militar do RN tem um déficit de mais de 4 mil policiais.

Entre outras reivindicações, a principal pauta segue a Lei de Promoção de Praças, a qual irá garantir a perspectiva de ascensão do policial e bombeiro militar. Atualmente, muitos militares vão para a reserva remunerada (aposentadoria) ainda como Soldados, o que vem gerando insatisfação entre a categoria.

Como forma de pressionar o Governo, as entidades representativas votou em assembleia realizada no acampamento montado em frente a Governadoria uma paralisação para o dia 22 (terça-feira). De acordo com as associações, estas já tentaram de todas as formas negociar com o Governo do Estado para a aprovação da Lei de Promoção, obtendo como resposta o silêncio.

Veja vídeo da assembleia promovida pelos militares estaduais:

0 Comentários Enviar Imprimir Tamanho do texto A+ A-
Publicada: 10/04/2014 às 21h38

PM do Pará desabafa sobre possível invasão da tropa de choque em batalhão com manifestantes

A Polícia Militar do Pará viveu durante quase uma semana momentos de tensão. Após o Governo do Pará conceder um aumento de 110% aos Oficiais da Polícia Militar, policiais do 6º BPM em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, iniciaram um movimento das Praças contra a discriminação sofrida.

O 6º BPM foi o pioneiro em uma movimentação que durou seis dias. Em um dos vídeos do movimento, um Sargento fala que os Oficiais só se preocupam com estatísticas para alcançarem uma promoção. O caso ganhou repercussão nacional e várias mensagens de apoio foram passadas aos PM's do Pará.

Um dos momentos mais tensos do movimento paraense foi a possibilidade da tropa de choque invadir o 6º BPM, onde os PM's mantinham-se aquartelados. Um dos policiais, Cabo Mendes, veiculou no WathApp uma mensagem emocionante relatando a tensão durante a madrugada de um dos dias quando a tropa de choque invadiria o batalhão. "Essa madrugada será uma que eu nunca vou esquecer e irei contar para os meus filhos. Tinhamos a informação de que os Oficiais estavam coagindo os Praças do CME (Comando de Missões Especiais) para invadir o 6º BPM", relata o Praça.

"O nosso número de guerreiros eram poucos, mas decididos a tudo ou nada e nós estávamos sozinhos e chegou a notícia de que eles chegariam às 3 horas. Fizemos uma oração e esperamos eles chegarem", disse o Cabo Mendes. Em um momento eles escutam ainda longe várias sirenes se aproximando cada vez mais da Unidade Militar onde permaneciam aquartelados. "Vinham longe as sirenes de várias viaturas em direção ao 6º BPM. Um olhava para o outro, alguns ligavam para se despedirem da família. Liguei para minha esposa e falei: 'O que estou fazendo é por você e meus filhos. Vocês são minha alma e por vocês eu morrerei'. As viaturas chegavam mais perto".

Com a proximidade das viaturas e da iminência de um confronto entre integrantes de uma mesma polícia, os militares chegam a dar o golpe nas armas, mas a surpresa chegaria em poucos minutos. "Estávamos decididos. Ninguém arredou o pé. Demos o golpe nas armas. Aí percebi que Deus está conosco, companheiros. Era o apoio do 1º BPM chegando. Deus escutou a nossa oração e comoveu os corações dos nossos amigos que vieram dar o apoio naquele momento", declara emocionado o Praça, que finaliza: "Companheiros, tenham fé que essa batalha já está ganha por que Deus está do nosso lado e já deu prova e a nossa história será marcada para o resto de nossas vidas. Eu tenho muito orgulho de estar servindo ao lado de vocês. Muito obrigado! Resistam mais essa noite!", conclui o Cabo da PM do Pará.

Já no segundo dia, o movimento teve o apoio de outras Unidades da PM do Pará, culminando com uma negociação com o Governo na última terça-feira (8).

Vídeo mostra chegada das viaturas do 1º BPM que foram em apoio aos companheiros do 6º BPM no Pará após informe de uma possível invasão da tropa de choque, confira:

0 Comentários Enviar Imprimir Tamanho do texto A+ A-
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 « Anterior 1 de 30
Encontre-nos no Facebook
© Portal BO - O 1º Portal Policial do RN - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade